Pular para o conteúdo principal

Filhos do Altíssimo

N
a conversa com seus discípulos, Jesus aponta algumas maneiras que podem torná-los filhos de Deus. E essa filiação se apresenta a partir da relação deles com seu próximo. Próximo para os discípulos eram apenas os judeus, nenhuma outra etnia era entendida por eles como partícipe dos benefícios de Deus dados a partir de Abraão. Então as demais nações existentes no mundo, nos dias de Jesus, eram alienadas dos direitos e garantias dirigidos por Deus aos judeus.
A compreensão de um judeu era que, por ser descendente de Abraão, já o configurava filho de Deus. Essa forma de interpretar essa afinidade com Deus comprometia a aproximação deles como filhos e tornavam-nos separados da verdade quanto o que significa ser um verdadeiro filho de Deus.
Jesus, no seu primeiro sermão, tratou logo de descomplicar a lacração consanguínea de Abraão feita pelos judeus e ensinou aos discípulos sobre algumas atitudes que deveriam ser melhoradas e novas ações requeridas para a convivência com o próximo. Uma nova perspectiva de vida deveria fundamentar a fé deles em Deus como Pai. Pois a natureza do Pai era geradora de Filhos e transformadora de caráter e ela os envolveria para fazer a vontade do Senhor.
Por isso que o Filho de Deus revela às multidões a necessidade de amar. Deus é amor. Seu amor é dirigido ao mundo e para todos os homens, raças, tribos e nações. A definição do amor de Deus é extraída de sua graça. O bem de Deus se estende à humanidade e é mostrado pelo sacrifício de seu próprio Filho. As ações de seu Filho chegam e se apresentam ao mundo descritas em misericórdia. Ele põe seu coração na miséria humana, se compadece dos homens e oferece-lhes perdão.
O perdão de Deus transforma seus inimigos em filhos e não abre as portas apenas para os amigos. Ele ensina aos discípulos que se eles amassem só quem os amava, se eles emprestassem somente aos que lhe pudessem retribuir, como poderiam ser chamados filhos do Altíssimo? Pois o Senhor é benigno até para os ingratos e maus. Eles, nesse caso, estavam sendo chamados a perdoar seus inimigos, para serem perdoados. Perdoar e não julgar, não condenar, a serem justos. Só fazerem aos outros aquilo que gostariam que fizessem com eles.
Portanto, assim como os discípulos, precisamos do perdão do Filho de Deus para nos tornarmos seus filhos. Que o perdão de Cristo nos afaste de toda hipocrisia e das atitudes contrárias à natureza de Deus. Que amemos o nosso próximo não só com palavras, mas com um coração puro.

Francisco de Assis Gomes




Comentários

Postagens mais visitadas

Verdade Prática

A banda Verdade Prática surgiu no ano de 2002, liderada por João Paulo das Chagas (conhecido como Paulinho Santa Cruz que atualmente segue com um projeto solo, produzido pelo Rota 33 Studio), que findou as atividades de sua antiga banda “IDEAL”, para dar lugar ao Verdade Prática, que teve início oficialmente com a entrada de Ruffles Brandon, seu atual líder. O nome da banda surgiu com uma pequena brincadeira em uma escola bíblica dominical, onde na lição de ensino tinha um trecho escrito “Verdade Aplicada”, mas alguém leu errado e falou “Verdade Prática” e por esse motivo, a banda adotou o nome. No início eles eram em cinco integrantes, e tocavam cover de outras bandas e poucas músicas autorais. A banda que já tem 20 anos de história, possui em sua discografia álbuns nunca divulgados ao público, somente o álbum “Nosso Mundo”, que foi gravado em 2011 com a voz de Paulinho Santa Cruz. Hoje o Verdade Prática conta com três integrantes: Ruffles Brandon (vocal e guit

Introdos

A Introdos teve seu embrião numa banda que tocava todo domingo no antigo Culto do PA, que existia na antiga Igreja Renascer em Cristo, onde os jovens se reuniam para tocar Rock n’ Roll.  Isso aconteceu durante o ano de 2008, na cidade de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. Porém, ao fim desse ano, a banda foi desfeita e alguns membros remanescentes se reuniram para dar início a um novo projeto, que tinha a intenção de explorar um som mais pesado e produzir canções autorais voltadas para evangelismo. A primeira reunião se deu em 13 de janeiro de 2009 e contou com a presença de Igor Motta (vocalista), Juninho (guitarrista) e Daniel Santana (baterista). O vocalista Ricardo da Cruz (Sim, a Introdos teria dois vocalistas) e Rubão (baixista), não conseguiram chegar à reunião nesta data, devido a imprevistos profissionais. Depois de alguns ensaios com os cinco, a banda acabou se estabelecendo como o trio que foi na primeira reunião e adotou o nome INTRODOS, em homenagem a uma

Sentido Inverso

O projeto de pregar através da música, e mais especificamente através do rock, nasce em 2003, através do chamado recebido pelo baixista Igor Titillo. O objetivo dessa missão é levar o evangelho aos corações duros à pregação, porém abertos à música, se valendo dessa estratégia para cumprir assim o "ide" de Jesus (Yeshua). Nessa fase a banda chama-se “Banda Primus” e juntam-se a ele seus primos Leandro Velloso no teclado e voz e Léo Velloso na bateria. No meio dessa estrada, o baterista Léo Velloso deixa a banda e em seu lugar entra a Priscila Moraes. Essa fase dura até aproximadamente, o ano de 2010, quando os músicos precisam seguir por rumos pessoais e profissionais diferentes, porém sem nenhuma desavença, mantendo os laços de família e de amizade que sempre tiveram. Ainda se sentindo incomodado por não estar cumprindo o seu chamado, o baixista Igor procura reformular o ministério a fim de seguir no cumprimento de sua missão. Em 2014 surge a idéia do nom