Pular para o conteúdo principal

"João Leste" é o mais novo baterista do Verdade Prática

 

O

Verdade Prática anunciou recentemente a entrada de mais um integrante na banda, o novo baterista, João Leste. É nas palavras dele que o apresentamos:

“João Ricardo de Paiva Rocha, natural do Rio de Janeiro, casado, nascido no município de Itaguaí. Sou Itaguaiense, nascido em 24 de Junho de 1976 . Meu pai tocava violão, minha mãe cantava, e eles gostavam de tocar músicas do Nelson Gonçalves e eu comecei tocar bateria a partir dos meus 10 anos de idade, mas a carreira mesmo foi em 87. Desde então tenho tocado direto já à quase 34 anos. Minhas influências dentro do contexto da música Cristã foram: Rebanhão, a galera que veio dos anos 80, Vencedores por Cristo, a galera que lançava cânticos para tocamos na igreja e comecei tocando num grupo dentro da Igreja Batista onde eu me batizei e pertenço até hoje. Minhas influências vão por esse lado do Novo Som, Claudio Claro. E, no meio secular quando agente começou ouvir música popular foi: Carlos Dalla, Rubinho Barsotti do Zimbo Trio, até que um dia eu ouvi o som da batera do João Barone, e uma influência mais acentuada no que eu faço hoje e tem algumas lá de fora também. Conforme os anos tive oportunidade de tocar com a Banda dos Nazarenos, que foi o primeiro trabalho como baterista da primeira formação; tive a oportunidade de gravar o CD ‘Curtindo o Maior Barato’ com eles, e uma coincidência legal é que, o baixista da banda, o ‘Alexandre’, que na época era chamado de Xandeco, membra junto comigo, na Igreja Batista de Itaguaí, até hoje. Então fiz parte da primeira formação em 1999, que pra mim foi bem legal, pois foi um trabalho que eu pude ter maior visibilidade e atualmente tenho tocado com a Banda PW3, já a quase 12 anos, e no último dia 12 de fevereiro de 2022, comecei a caminhar com a turma do Verdade Prática, período probatório com eles, pra vê como vai ficar a temporada de 2022, mas acho que começamos bem!!! Bom... Eu, João Leste, sempre tive um chamado de Deus para a obra missionária, fiz algumas viagens missionárias também, que eu, particularmente, tenho uma veia missionária bem atenuada, sou muito ligado a isso, sou convertido desde os 10 anos de idade, e o que Deus mais tem colocado em meu coração, para eu me importar com a obra missionária e fazer discípulos para pregar a palavra do Senhor. Eu custo dizer que a música no meu modo de vê, funciona como, primeiramente atrair a presença de Deus, claro, mas também como uma isca, então, uso isso como uma forma de atrair as pessoas também, e essa galera que eu tenho tocado ultimamente tem usado muito isso. Sou casado há 22 anos, tenho um filho baixista que também está na casa de Deus, e também posso dizer que fiz igual à Ana. ‘Deus me deu um filho, eu já devolvi para estar na casa de Deus’. E o por quê de João Leste ? Em meados de 2005 a 2006, eu comecei a tocar com amigos de infância num projeto de uma banda chamada ‘CENTRAL 111’, a gente tocava no meio secular com composições próprias, e fazendo alguns covers, e então um dos integrantes tinha mania de gastar um no outro, e ele viu que nas fotos e em certos vídeos que agente fazia da banda, e eu tenho um certo estrabismo, não pode ser perceptivo, mas às vezes quando tira uma foto, alguma coisa que acontece e um olho fica virado pra câmera, o outro pro Leste, e, por isso eles me colocaram esse apelido ‘João Leste’, que desde então esse sou eu. Deus abençoe vocês!”.  Finaliza João Leste.

        A banda já começou a gravar novas músicas com o “João Leste”, e promete que em breve haverá lançamento. 


Comentários

Postagens mais visitadas

Introdos

A Introdos teve seu embrião numa banda que tocava todo domingo no antigo Culto do PA, que existia na antiga Igreja Renascer em Cristo, onde os jovens se reuniam para tocar Rock n’ Roll.  Isso aconteceu durante o ano de 2008, na cidade de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro. Porém, ao fim desse ano, a banda foi desfeita e alguns membros remanescentes se reuniram para dar início a um novo projeto, que tinha a intenção de explorar um som mais pesado e produzir canções autorais voltadas para evangelismo. A primeira reunião se deu em 13 de janeiro de 2009 e contou com a presença de Igor Motta (vocalista), Juninho (guitarrista) e Daniel Santana (baterista). O vocalista Ricardo da Cruz (Sim, a Introdos teria dois vocalistas) e Rubão (baixista), não conseguiram chegar à reunião nesta data, devido a imprevistos profissionais. Depois de alguns ensaios com os cinco, a banda acabou se estabelecendo como o trio que foi na primeira reunião e adotou o nome INTRODOS, em homenagem a uma

Será realizado próxima Sexta-Feira, dia 15 de Outubro, o "Especial Fronteira" com a "Banda LSD"

  N esta Sexta Feira, dia 15 de Outubro de 2021, às 16:00 horas, será realizado na Web Rádio Fronteira, o “Especial Fronteira” com a "Banda LSD" do estado do Amapá. Na ocasião, irá entrevistá-los ao vivo. Você vai conhecer um pouco mais sobre sua história, os desafios enfrentados, saber como anda sua carreira na atualidade, quais serão os seus próximos trabalhos e a cada final de bloco você vai ouvir uma música escolhida por eles. Além disso, você poderá matar sua curiosidade sobre a Banda. Você poderá acompanhar tudo pelo Instagram: @webradiofronteira .   ENVIE SUA PERGUNTA EM ÁUDIO OU TEXTO PARA A LSD RESPONDER .   WEB RÁDIO FRONTEIRA - MESSIAS TARGINO/RN "10 ANOS, Semeando a Palavra de Deus e lhe ensinando O Caminho!"   Site: www.webradiofronteira.com Aplicativo (Play Store): Web RádioFronteira – Messias Targino/RN Fone/WhatsApp: (84) 9.9963-0719 E-mail: webradiofronteira1@gmail.com

Sentido Inverso

O projeto de pregar através da música, e mais especificamente através do rock, nasce em 2003, através do chamado recebido pelo baixista Igor Titillo. O objetivo dessa missão é levar o evangelho aos corações duros à pregação, porém abertos à música, se valendo dessa estratégia para cumprir assim o "ide" de Jesus (Yeshua). Nessa fase a banda chama-se “Banda Primus” e juntam-se a ele seus primos Leandro Velloso no teclado e voz e Léo Velloso na bateria. No meio dessa estrada, o baterista Léo Velloso deixa a banda e em seu lugar entra a Priscila Moraes. Essa fase dura até aproximadamente, o ano de 2010, quando os músicos precisam seguir por rumos pessoais e profissionais diferentes, porém sem nenhuma desavença, mantendo os laços de família e de amizade que sempre tiveram. Ainda se sentindo incomodado por não estar cumprindo o seu chamado, o baixista Igor procura reformular o ministério a fim de seguir no cumprimento de sua missão. Em 2014 surge a idéia do nom